Princípios

Conceitos

Cultura: conjunto de costumes e valores de um povo, passados de geração em geração. Estes conduzem as suas condutas.

Nação: conjunto de indivíduos que se sente um agrupamento, unido por vínculos culturais, com interesses e necessidades peculiares. Caracteriza-se por valores culturais, peculiaridades, episódios históricos, formação.

Paulistas são aqueles que se condóem com a descaracterização de São Paulo, e possuem nossa cultura.

 

Missão

Resgatar o sentimento de ser paulista e a auto-estima para voltar a indignar-se contra os desrespeitos; defender o direito do paulista defender sua cultura; servir de inspiração com atos de coragem; redefinir conceitos; apontar os insultos sofridos por São Paulo; difundir o ideal separatista paulista pela extensão do nosso estado.

 

Visão

Levar o povo paulista a amar e defender seu estado, sua identidade, e respeito à sua cultura, de forma abrangente e sem temor. Ver nossos conceitos e métodos usados como argumentação. Ser reconhecido como um movimento que frustrou a descaracterização pretendia pelo Brasil para São Paulo, e resgatou o rumo do sentimento paulista com relação a si mesmo, viabilizando a soberania política.

 

Valores

Não buscar nenhum benefício ou projeção pessoal intencional com a causa. O que nos motiva e impulsiona são os sentimentos de amor e dignidade do nosso estado.

A vida pessoal é sagrada, não podendo sofrer interferências da causa política.

Uma ação, insignificante que seja, é maior do que nula em termos de resultado. Todo trabalho um dia frutificará.

Temos prazer em realizações no presente, não somente no objetivo final de independência.

Se necessário, lutar só contra todos, se houver convicção, enfrentar a tudo e a todos, contra o senso comum.

Reputar – ou não – as críticas com base no Emissor, sua importância e compromisso para com São Paulo. As mesmas, muitas vezes, vêm do próprio algoz que nos escraviza.

Não usamos termos pré-moldados do vocabulário brasileiro para apelidar as queixas do paulista. Aquele que recrimina o paulista por suas queixas aos desrespeitos sofridos, endossa os desrespeitos praticados.

Não levamos em consideração lutas de classes marxistas que norteiam o Brasil, tampouco lamentações dos que querem que a sociedade pague suas responsabilidades; não se tratando de questão social e sim cultural.

Nao surgirá um messias que faça tudo que esperamos. Quem fará somos nós, pessoas comuns e imperfeitas.

Defendemos a autodeterminação dos povos, sem subjugação a outros povos, nem de outros povos a nós.

Preocupar-se com o bem-estar dos irmãos paulistas; na medida do possível, apoiar os perseguidos por defender São Paulo. Criar um sentido de povo que não abandone os seus.

São Paulo é o lar do paulista, os demais devem se adequar e submeter aos nossos costumes, a fim de se integrarem. Os paulistas se reconhecem dos demais culturalmente, não havendo porém distinção civilmente.

Não bajulamos aos que agem sem reciprocidade, em nome do bom-mocismo. É preciso ser “gentil com os gentis e duro com os duros”. As gentes dos demais estados adotam o lema: “O meu é meu, o seu é nosso”. Enquanto o paulista se preocupa em agradar os demais, ele é sempre o sacrificado, os demais não se preocupam em agradá-lo ou considerar suas opiniões.

Nas democracias não existem poderes absolutos. Nem tiranias eternas. O Brasil insulta e saqueia São Paulo de inúmeras formas, e pune o paulista por se expressar. Sendo portanto, direito indubitável, a independência do povo paulista.

 

Outros ideais

Temos em mente e baseamo-nos no princípio de que um grupo de indivíduos (uma Nação) decide formar sobre si um governo (Estado), que os representa. Desta forma, não cabe a um Estado obrigar este agrupamento a situações que não represente sua vontade.

Não pregamos o separatismo para implantar uma ideologia, e sim para que o povo paulista, livre do subjugo ao Brasil, decida sua ideologia, mesmo se diferente das nossas. Sendo possível reunir pessoas por algo em comum, entendendo que um movimento deve ser espontaneamente a amostra de uma nação.

O paulista não deve aceitar as culpas que lhe colocam ao falar sobre o tema. Ele é quem sustenta o Brasil, e sofre todo tipo de subtração, desrespeitos. discriminações e censura. Os sempre ditos “vítimas” e alvos de “preconceito”… mandam no país com 1/3 do Senado, com o dinheiro de São Paulo. As vítimas neste país somos nós.

Encaramos como ataques preconceituosos contra São Paulo todo tipo de conduta que demonstra desprezo por conhecer a cultura local (invadir terrenos, arruaças e “protesto” pela morte de bandidos que atiraram na policia, ou na reintegração de locais invadidos, nossos mananciais violentados por invasores, esperteza para usar gratuidades pagas pelos demais, etc). Ataques à polícia paulista são ataques ao povo paulista.

Queremos que o respeito a cultura paulista seja lei, e o desespeito, punido como racismo.
A Liberdade de expressão é a mola propulsora da disseminação de idéias, por isso visada e relativizada por tiranias. O Brasil há anos pretende a substituição demográfico-cultural no estado de São Paulo, calando o paulista com ameaças, para tomar-lhe seu estado e sua História.  Cientes disto, pregamos Liberdade de expressão “para todos” ou “para ninguém”, combatendo o Relativismo.

 

O que fazemos / Próximos planos

Enviamos denúncias de desrespeito a São Paulo a órgãos do Brasil confrontando os princípios que dizem seguir. Pretendemos criar adesivos, panfleto em formato de jornalzinho. Levamos denúncia à Comissão Interamericana da OEA, e preparamos uma nova. Queremos criar grupos virtuais de pressão em defesa de São Paulo. Atuar segundo todos os objetivos planejados neste site.

 

Por que consideramos importante a defesa contra a imposição cultural?

O Brasil deseja abrasileirar Sao Paulo, matar dentro dele mais e mais seu amor-proprio e toda reação e neutralizar sua peculariedade. Por isso lutamos para que o paulista tenha indignação aos
desrespeitos e se defenda.
Do contrario será saqueado nosso estado, aniquilada sua cultura, apropriados os frutos de nosso modo de vida, e diluída nossa Historia grandiosa.